segunda-feira, abril 11

Deputado gay Jean Wyllys ofende cristãos e declara guerra aos “inimigos”


O recém-eleito deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), homossexual militante que conseguiu alguma notoriedade participando do programa Big Brother Brasil da Rede Globo, lançou, na semana passada, uma campanha de combate ao cristianismo.
Em sua página do Twitter, Jean publicou várias mensagens dizendo que cristãos são doentes, homofóbicos, preconceituosos, violentos, ignorantes e fanáticos, e que ele se dedicará ainda mais a eliminar a influência do cristianismo na sociedade. O deputado enfatizou que seu mandato tem como foco a defesa dos interesses da militância gay e o combate a seus “inimigos”.
O deputado, que é membro da Frente Parlamentar LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e travestis) no Congresso Nacional, aproveitou para convocar seus seguidores para se juntar a ele em sua guerra particular. Jean obteve respostas diversas: angariou o apoio previsível de seus seguidores militantes da causa gay, e provocou a reação de inúmeros outros usuários da rede social, indignados com as ofensas do parlamentar aos cristãos e com seus ataques à liberdade de expressão, religião e comunicação.
Jean promove uma campanha de censura a usuários do Twitter que são contrários às idéias que ele defende, como o “casamento” homossexual, as cartilhas de suposto combate à “homofobia” do MEC (mais conhecidas como Kit Gay) e o PLC 122/2006 (lei da mordaça gay), projeto de lei que pretende transformar em crime qualquer crítica ou oposição ao comportamento homossexual ou às pretensões do lobby gay.
Uma das primeiras vítimas da campanha censória de combate ao cristianismo deflagrada por Jean Wyllys foi o usuário Carlos Vendramini.
Valendo-se do direito que qualquer cidadão possui em uma democracia, Vendramini fez, no Twitter, críticas ao Kit Gay, ao PLC 122/06 e a outros projetos dos militantes gays e aos parlamentares que os apóiam, como Jean Wyllis, Marta Suplicy e Cristovam Buarque, dentre outros. Incomodado com as críticas, o deputado disse, em seu blog, que estava acionando advogados da Frente LGBT para censurar o perfil de Vendramini, que Jean imagina ser “membro fundamentalista de uma parcela conservadora da direita católica em São Paulo” (sic) e estar praticando “perseguição” a ele.

2 comentários:

EDIGAR CAIRES disse...

Deixo como comentário um trecho de artigo que publiquei em meu site que mostrar a condição do Brasil não só em relação a estes fatos mas que aborda a condição moral e espiritual da nação em vários aspectos:
Vou levantar a questão do homossexualismo, assim como de outras práticas nocivas, e tenho certeza que vou ser chamado de homofóbico, fanático ou algo parecido, a onda agora é essa: Não concorda com uma prática ou cita textos da biblia que condena e é logo taxado de fanático ou homofóbico, estejam à vontade para me chamar de fanático ou homofóbico, mas farei questão que me chamem também de homicídiofóbico, estrupofóbico, ladrofóbico, adultériofóbico, pedofilofóbico, abortofóbico, religiosofóbico, idolatrofóbico, politicofóbico, estelionatofóbico, mentirofóbico e quantos outros mais ‘ fóbicos ‘ desejarem. Desde que este termo se aplique a repúdio de práticas que Deus, em sua mais perfeita santidade abomina, condena e vai punir. E em relação a ser fanático, eu sou mesmo, fanático do mais alto nível, tenho um fanatismo imensurável por Deus e sua Palavra.
caso queiram ler todo o artigo favor acessar o link :
http://www.edigarcaires.com.br/carta_aos_brasileiros.php
Fiquem na paz !!!

leomanancial disse...

Obrigado por postar um comentário Edgar!

Deixo quero acrescentar junto ao seu post, que estamos engajados na mesma tarefa de pregar o Evangelho baseado nas Escrituras e onde somente o nome de Jesus Cristo "Yeshua" é o único SALVADOR e o único MEDIADOR entre Deus e os homens!

Participaçoes como a sua em nosso BLOG nos deixa mais felizes em saber que existem pessoas e irmãos em Cristo que ainda tem a sã doutrina em seus coraçoes e nao esta conformado com este presente século!

Deus continue a te abençoar!

Shalom querido!